quarta-feira, 15 de novembro de 2017

a esposa come e dá para o namorado e o marido em castidade masculina assiste e participa

Passados uns dias de meu encontro com os novinhos eu resolvi que queria ficar com apenas um deles. O menino mais versátil, o mais cabeça aberta, o que tinha deixado eu dedar ele gostoso. Mandei uma mensagem para ele pelo whats e começamos logo a conversar putarias. Mandei umas fotos minhas toda safada e pedi para ele fazer algumas dele tb. Theo, o nome dele. Percebi que o menino, apesar de novinho, tinha bom potencial e resolvi aos poucos começar a ir treinando ele.

Ele não se depilava por completo, deixava os pelinhos curtos e aparadinhos, mas não tirava tudo. E no cu ele deixava uns pelinhos também. Mas eu queria ele lisinho. Então eu falei para ele que queria começar a trepar com ele com mais frequência e lógico que ele adorou. Tenho certeza que sou a melhor trepada da vida de qualquer homem que fica comigo, ainda mais um menino novinho. Só que eu disse que a partir da próxima vez queria ele lisinho, totalmente depilado, sem nenhum pelo na virilha, no saco, no cu, no pau. E passei o telefone de minha depiladora para ele. Mandei ele marcar com ela e quando ele estivesse com a cera quente nas partes intimas era para ele fazer uma foto e me mandar. Sei que a primeira depilação com cera para um homem é bem dolorosa, mas eu amo os totalmente depilados.

No dia seguinte ele foi la se depilar e me mandou a foto, como eu tinha mandado. Então combinamos que na sexta-feira ele viria para casa, para transarmos muito e bem gostoso. No horário combinado pedi para o Rob, meu marido, ir na casa do Theo pegar ele e trazer ele para a nossa.

Quando eles voltaram eu estava só de calcinha fio dental preta, de renda, totalmente transparente e minúscula, e salto bem alto. Mais nada. Quase nua. Beijei o meu marido na boca e em seguida agarrei o Theo, dando um beijo bem quente na boca dele também. O Theo ja ficou logo louco e queria me comer de qualquer jeito naquela hora. Mas eu tinha planos bem especiais e queria ir com calma. Mandei meu marido servir uma vodka para mim e para o Theo e ficamos os 3 na sala, se pegando, se beijando e tomando vodka. Uns tempos depois disse para o Rob: "amor, eu e o Theo vamos para o quarto gozar gostoso, mas você espera a gente aqui. Não quero que você veja a gente.". Meu marido vive em castidade, sem poder gozar e usando cinto de castidade masculina. Beijei meu marido na boca e peguei o Theo.

Logo que entramos no quarto já noa agarramos. Eu estava quase nua já, só de calcinha. E logo senti as mãos dele pelo meu corpo todo. Abri a calça dele e enfiei e mão por baixo da cueca e senti ele lisinho como eu gosto. E disse para ele: "gatinho, a partir de agora mantenha-se sempre totalmente depilado"e baixei a calça dele. Sentei ele na beira da cama, de pernas abertas e me ajoelhei no meio. Comecei lambendo o saco, a virilha, enquanto pegava de leve no pau gostoso dele. Depois subi pelo pau com minha lingua, lambei aquela cabeça gostosa, engoli o pau, enquanto acariciava o saco e o cu dele com os dedos. Desci com a boca e lambi bastante o cu dele. Enfiei a língua bem la dentro do cu dele e mandei ele relaxar. Enfiei um dedo, bem la no fundo. Mexi um pouco e ele gemia de tesão sem parar. Enfiei um segundo e o pau dele pulsava de tão duro. Ele queria se masturbar enquanto eu dedada ele, mas eu sabia que se ele pegasse no pau dele ele iria gozar na hora e não queria que ele gozasse ainda. Tirei meus dedos e mandei ele abrir bem o cuzinho depilado dele para eu ver.

Me levantei e fui para meu armário do tesão. Escolhi um dos meus cintaralhos, meus cintos com paus realísticos. Escolhi um médio para grande. Ele olhou e fez uma cara de "isso não", mas eu disse: "gatinho, outro dia te desvirginei com os dedos e hoje é vez de te desvirginar direitinho, com um pau. Vou comer esse seu cuzinho quase virgem para tirar de vez a virgindade dele. Vou te abrir o cu gostoso, te arrombar, te deixar prontinho para dar o cu sempre bem gostoso". Ele fez que não, mas tanto eu como ele sabíamos que era sim. Era certo que ele estava louco de vontade de levar aquele pau no cu dele.

Vesti o cinto com o pau, bem fixo em mim. Eu seria o homem e ele a mulher na relação. Vamos praticar uma deliciosa inversão de papéis, com a mulher comendo o homem. Peguei o KY, deixei ele de frango assado, com um travesseiro por baixo dele. Lubrifiquei bem o cu dele, fedei ele mais um pouco e ai montei em cima dele, esfregando o pau na cara dele e falando: "sente o pau que vai te comer, pega nele". E depois mandei ele beijar e chupar o pau. Podia a boca dele, enfiava quase que até a garganta. E vi que ele ficou louco de tesão.

Era hora dele sentir o primeiro pau da vida dele dentro do cu dele. Encostei a cabecinha e disse: "gatinho, vai doer um pouco, mas a dor faz parte do prazer. Curte a dor de ser penetrado no cu pela primeira vez e relaxa. Aproveita, sente o pau entrando. E comecei a forçar. A cabeça entrou. Ele gemeu e disse que estava doendo muito. Eu falei pra ele relaxar que eu sabia muito bem como comer um homem. Parei de mexer, tirei um pouquinho. Ele relaxou e eu forcei de novo. E ai entrou mais um pouco, bem gostoso. Senti que as pregas se abriram e que ele estava pronto para ser fodido.  Fiquei um tempo parada e depois comecei a mexer devagar, mas enfiando e tirando bem pouquinho. Via a cara de tesão e prazer dele. E ai enfiei de vez até o talo. Ele gritou e pediu pra e tirar e eu disse: "gatinho, calma. Já foi tudo. Meu pau já esta totalmente dentro do seu rabo. Acabei de tirar sua virgindade de vez"e logo comecei a bombar, a comer ele bem gostoso, o tempo todo dizendo que o cu dele era uma delicia, que ele era uma putinha safada dando o rabo. Metia com força, mandava ele sa abrir e rebolar.

Tirei o pau do rabo dele e mandei ele ficar de quatro e abrir bem o rabo. Encostei a cabeça do pau e meti inteiro de uma vez, ele gritou e gemeu e eu disse que era para ele aproveitar porque ele já estava arrombado. Enquanto eu comia eu dava uns tapas na bunda dele, chamando ele de putinha arrombada.

Ele fez menção de pegar no pau para bater punheta, mas eu disse que não. Dei mais umas bombadas falando putarias fortes para ele, dizendo pra ele abrir bem o rabo dele para o pau entrar. Logo vi que ele ja estava louco e não ia agüentar. Ai ele pegou no pau, bateu duas vezes e esporrou. Vários jatos fortes, intensos. Quando ele acabou de gozar, tirei o pau da bunda dele e ele estava extasiado, louco.

Ele tinha porra nas mãos, na barriga, escorrendo por todos os lados. E foi ai que resolvi que ia aproveitar a ensinar ele a lamber sua própria porra também. Eu disse: "gatinho, você bateu punheta e está todo esporrado. Lambe sua mão!". Ele fez uma cara de nojo e eu disse: "vai ter nojo der algo seu mesmo. Lambe sua mão!". Ele lambeu. E eu disse: "limpa tudo. Pega a porra que esta no seu pau e na sua barriga com a mão e lambe. Quero você limpinho". E ele fez.

Eu estava louca de tesão, ensopada. Sentei na cara dele e fiquei esfregando minha buceta na língua dele, enquanto com as mãos pegava no pau dele. Sabia que em 1 minuto ele estaria duro de novo. Essa é a vantagem de trepar com novinhos. E foi isso mesmo. Logo o pau dele ficou duríssimo e eu estava quase gozando. Levantei da cara dele e sentei no pau, sentindo entrando todinho, de uma vez. Eu rebolava, me esfregava. Ele metia com força. Senti meu gozo chegando e acelerei os movimentos. Gemi e disse que estava gozando e em seguida ele esporrou também.

Fiquei deitada em cima dele, aproveitando o pós gozo delicioso. Me virei para o lado e falei para o Theo ir na sala chamar meu marido. Logo que o Rob entrou no quarto ele me viu deitada na cama de pernas bem abertas, recém fodida por um pau de um menino novinho. Olhei para meu marido e disse: "amor, você sabe o que fazer". E ele bem obediente e treinado foi até minha buceta cheia de porra de outro e me lambeu, me chupou. Eu esfregava minha buceta com gozo de outro na cara de meu marido, com meu tesão nas alturas. Estava quase gozando de novo, mas queria trepar mais com o Theo.

Mandei meu marido tirar a roupa e ficar nu, com o pau dele preso no cinto de castidade Holytrainer que ele usa todos os dias sem exceção.  Ele se deitou na cama ao meu lado, eu beijei, agarrei, acariciei ele, deixei ele subindo as paredes de tesão, mas impossibilitado de ter ereção, pelo cinto de castidade. Do outro lado da cama, o Theo já começava a se excitar de novo.

Abracei um de cada lado e fiquei alternando carinhos e beijos entre meu marido e meu namorado novinho. Um deles, o namoradinho, podia me comer bem gostoso. Já meu marido, claro que não.  O pau do Theo logo ficou super duro. Chamei meu marido para chupar o pau dele junto comigo. Mandei meu marido começar mamando, enquanto eu lambia as bolas bem duras do meu namoradinho. Depois revezei com meu marido e engoli o pau enquanto ele acariciava e lambia as bolas do Theo. Terminamos eu e meu marido juntos chupando e lambendo a cabeça do pau do Theo.

Olhei para meu marido e disse: "amor eu comi o cu do Theo agora há pouco. Desvirginei ele bem gostoso, com meu cintaralho. E agora vou recompensar ele. Vou dar meu cu para ele, na sua frente". E mandei meu marido se deitar na cama. Sentei em cima do rosto do meu marido e falei para ele me lamber o cu, lubrificando e deixando ele pronto para meu namoradinho novinho comer. Fiquei de quatro em cima do rosto do Rob e o Theo encostou o pau delicioso dele no meu cu. Eu relaxei e abri bem meu rabo, para o pau do Theo entrar, enquanto o Rob ali embaixo assistia bem de perto e chupava minha buceta e o saco do Theo. Senti o pau entrando firme e muito duro. Os novinhos não tem muita paciência, então ele meteu quase tudo de uma vez. Quando entrou tudo o Theo começou a bombar no meu rabo, com o Rob ali embaixo nos lambendo e chupando. O Theo me comeu muito e o Rob me chupou muito, até que eu gozei deliciosamente e o Theo encheu meu cu de porra. Logo que o pau saiu do meu cu eu sentei com o cu bem na boca do Rob e abri o cu para escorrer a porra direto na boca dele.

Descansamos um pouco os 3, tomamos um banho, eu parabenizei o Theo por ter dado o rabo gostoso e disse que eu ia preparar ele para ser um homem completo e perfeito. Depois  o Rob foi levar o Theo para casa enquanto eu descansava na nossa cama.

E foi assim, a esposa come e dá para o namorado e o marido em castidade masculina assiste e participa

Quer conversar comigo? paulasicam@gmail.com


quarta-feira, 1 de novembro de 2017

a esposa transa com dois novinhos. o marido fica preso no cinto de castidade masculina

Neste fim de semana passada eu resolvi sair com alguns gatinhos que eu já tinha transado. É um grupo de menininhos super novinhos, recém saídos da adolescência com os quais eu já transei algumas vezes. Conheci eles numa balada e me abusei de gozar com aqueles corpinhos novinhos e aqueles paus gostosos e cheios de potência, apesar da inexperiência.

Eu sempre recomendo para as leitoras e leitores mais novos do blog começarem lá atrás, nos primeiros capitulos, para entenderem todo o processo de castidade e de dominação feminina. Leiam de trás para frente, para que o blog fique com a ordem das coisas.

Quem ainda nao leu algumas das vezes que eu fiquei com esses meninos, estão aqui dois links:

https://submissocornoecontrolado.blogspot.com.br/2016/12/a-mulher-casada-que-sai-para-namorar.html

https://submissocornoecontrolado.blogspot.com.br/2016/12/a-esposa-transa-com-gatinhos-novinhos.html

Eu tenho um grupo de WhatsApp com todos eles e quando fico a fim de provocar eles eu mando alguma foto ou falo coisas bem safadas para eles se excitarem. E foi isso que eu fiz nesta sexta-feira. Eu estava louca para dar para vários deles juntos, então mandei uma foto minha só de calcinha e perguntando quem queria tirar minha calcinha a noite. Eles já ficaram loucos de tesão. São 4 amigos no total, mas um deles disse que não poderia a noite, então eu combinei com os outros 3.

Já dei para eles longe do meu marido e também já deixei eles me foderem na frente do meu marido corno manso, que vive em castidade masculina, sem poder transar, nem se masturbar, porque é proibido de gozar. Desta vez queria ir para um motel com os 3. Marquei na casa de um deles, as 21:00. Ma arrumei toda, com uma roupa super sexy e uma calcinha bem safada. Pedi para meu marido me levar. Chegando no apartamento eu interfonei e eles desceram. Beijei os 3 na boca. Um deles foi na frente, com meu marido dirigindo e eu fui com os outros dois atrás. E já fui beijando e provocando eles o tempo todo. Fomos para o Lumini Motel. Na recepção a menina não conseguiu disfarçar o risinho quando me viu sozinha com 4 homens, mas na hora de registrar eu expliquei que meu marido é que estava dirigindo e que ele não iria ficar. Ai que a cara da recepcionista foi melhor ainda. Paramos na garagem, desci com os 3 meninos, dei um beijo gostoso na boca do meu marido, dizendo que amava ele e que iria chamar ele pelo whatsapp mais tarde para nos buscar.

Logo que entramos no quarto os 3 meninos já começaram a me agarrar juntos, passando a mão pelo meu corpo. Eu intercalava beijos na boca dos 3 e pegadas no pau deles por cima das calças. Depois de um tempo, mandei os 3 ficarem pelados e tirei minha roupa toda, mostrando meu corpo gostoso para aqueles 3 meninos recém saídos da adolescência. Os paus dos 3 super duro, cada um diferente do outro. Eu adoro isso, ter um pau grosso, um mais fino, um mais cabeçudo, um menos. Todos juntos, ao mesmo tempo. Sentir homens (ou meninos, neste caso) diferentes me fodendo ao mesmo tempo ou logo em seguida é uma das melhores sensações para uma mulher. Cada pau é diferente, cada corpo é diferente, cada um mete diferente. É uma delicia sentir e eu recomendo que todas as mulheres transem com mais de um homem junto.

Me ajoelhei e comecei a chupar e punhetar os 3 paus ao mesmo tempo. Ia alternando os paus, a boca, as mãos e deixando eles loucos. Ai depois de um tempo, resolvi me dedicar um tempo a cada um. Eu adoro trepar com meninos bem novinhos, mas sei que na primeira vez eles gozam muito rápido, mas depois tem fôlego para darem varias em seguida.

Comecei então a dar um trato gostoso em um deles. Lambia a cabeça, engolia o pau, acariciava o saco e o períneo, quase chegando no cu. Depois desci e comecei a lamber o saco dele, deixando ele louco de tesão, com as bolas e o saco durinhos e deliciosos. E ai me veio uma idéia na cabeça. Eu ia comer os 3, ia dedar os 3. Adoro fazer fio terra nos meus homens, mas sei que com os meninos é muito mais difícil porque eles são super cheios de preconceitos e ainda não sabem todas as coisas boas.

Foi então que eu desci lambendo o saco e cheguei no cu. Minha idéia era lamber bastante o cu dele e depois dedar ele bem gostoso, enfiar meu dedo naquele cuzinho novinho e mostrar para ele todo o prazer que dar a bunda pode dar para um homem. Mas na hora que encostei a língua no cu dele ele deu um pulo assustado e disse: "epa!! ai não, que estória é essa de chegar no meu cu". Ai eu dei risada e disse: "relaxa, gatinho, deixa eu te comer um pouco. Eu adoro, me dá o maior tesão. E você vai ficar maluco também de tanto prazer". Ele falou: "pode parar, nem vem. No meu cu não". Os outros dois me olharam com cara de assustados e ai eu parei tudo e disse: "hoje eu estou com vontade de comer o cu de vocês 3 bem gostoso com minha língua e meus dedos. Tenho certeza que vocês vão adorar. Larguem de ser bobos e experimentem". Ai os 3 disseram que não, que não queriam saber disso. E eu respondi: "vocês sabem o tesão que é trepar comigo, vocês sabem que sou a mulher mais gostosa do mundo e a melhor trepada que vocês podem ter. Então é o seguinte, se vocês quiserem me comer tem que deixar eu comer vocês também". Eles argumentaram que não tinham vontade e não queriam e ai eu disse: "podem ser vestir e ir embora então".  Um deles pegou a roupa na hora e se vestiu dizendo: "tá ficando louca, Paula, aqui no meu cu só sai, não entra nada não". Eu ri e disse: "azar o seu, pode ir embora então. Chama um Uber e tchau. Nunca mais você vai sentir meu corpo". Os outros dois ficaram pelados, cheio de duvidas. O amigo disse: "larguem de viadagem e venham enora comigo" e eu disse: "se vocês ficarem vocês vão ter a melhor foda da vida de vocês. E eles disseram que iam ficar e experimentar. O outro foi embora, xingando eles de viados.

Eu sentei os dois na beira da cama, de pernas bem abertas e fui lambendo o saco e descendo até o cu de um deles. Mandei ele levantar bem as pernas e se abrir todo para mim, sem medo. Ele ficou de franguinho assado, escancarando aquele cuzinho virgem para mim. Enfiei minha língua bem la dentro, lubrifiquei bem e encostei meu dedo, mandando ele relaxar e aproveitar. Com a outra mão fiquei acariciando o pau e o saco dele e enfiei devagarzinho um dedo, desvirginando aquele cuzinho quase adolescente. Ele se abriu gostoso, gemeu e eu vi que ele matava relaxado e gostando. Massageei a próstata dele, batendo punheta ao mesmo tempo. O pau dele pulsava na minha mão. Enfiei um segundo dedo bem fundo no rabo dele e ele gemeu dizendo "que delicia" e logo em seguida vi que ele ia gozar. Abocanhei o pau dele, num boquete delicioso e ele gozou, enchendo minha boca de porra, que eu engoli todinha. Vi que ele estava louco de tesão ainda e sabia que logo estaria pronto para me comer.

Fui no amigo dele ao lado e fiz a mesma coisa. Mas esse menino estava mais travado um pouco. Deixou eu enfiar o dedo, mas mantinha o cu fechado, travado, sem relaxar e se abrir para eu comer ele gostoso. Dedei um pouco, mas vi que ele não estava à vontade então parei e imediatamente sentei na pica dura dele. Senti entrando inteira. Eu estava ensopada, aberta, morta de tesão. Rebolei algumas vezes com força no pau dele e ele começou a gemer e eu sabia que ele ia esporrar em seguida. Fiquei sem gozar, mas a vantagem é que ali do lado o outro menino já estava de pau duro para me comer. Deitei na cama e abri bem minhas pernas e ele veio, entrando deliciosamente em mim. Cruzei as pernas nas costas dele e ele me fodia cheio de vontade e tesão, com força. Variamos um monte de posições, até que fiquei de 4 e ele veio me fodendo. Com minha mão acariciei o saco dele e cheguei no cu e enfiei um dedo. Enquanto ele me fodia eu comia ele com o dedo e falava: "isso, gatinho, abre bem essa rabo, deixa eu te comer. Na próxima vez vou trazer um pau de ciclone pra meter gostoso em você e gozei forte e gpstoso em seguida. Enquanto eu gozava ele me pegou com força pela cintura e estocou fundo o pau dele dentro de mim, gemendo e gozando em seguida.

Ficamos ali deitados, descansamos um pouco, mas com meninos quase adolescentes isso dura pouco. Logo em seguida os dois estavam duríssimos já, prontos para me foderem mais uma vez. E dessa vez eu queria os dois juntos. Ia dar para os dois meninos ao mesmo tempo, um no cu e um na buceta. Adoro fazer DP. A dupla penetração é um enorme prazer para qualquer mulher.

Olhei para os dois e disse: quem gostou mais de dar o cu vai ter de presente o meu cu. O outro se travou todo, vai ficar na minha buceta. Eles riram e eu mandei um deles de deitar na cama, na beira, com as pernas para fora. Sentei no pau dele e empinei bem minha bunda, oferecendo meu cu para o outro me comer. Ele veio, encostou a cabeça e enfiou. Acertamos os movimentos os 3 e senti o pau dele entrando todinho no meu cu. A sensação de dois paus dentro da gente é única. Eu sentia os sacos batendo, os paus quase se encostando. Falei um monte de sacanagens e gozamos os 3, muito forte.

Tomamos um banho, relaxamos e depois ainda trepei mais uma vez com cada um. Ai tirei uma foto de nós 3 na cama e mandei para meu marido dizendo que já tínhamos todos gozado muito e que ele podia vir nos buscar. Tomamos outro banho, nos vestimos e meu marido chegou. Entramos no carro, ele perguntou do outro e eu disse que ele tinha sido bobo e ido embora mais cedo. Meu marido pagou a conta do motel, eu agradeci o marido perfeito que ele é, deixamos os meninos uma casa deles e fomos para a nossa.

Chegando em casa eu contei tudo para meu marido, com detalhes, deixando ele louco. Ver meu marido naquela situação, louco de tesão, mas sem poder ter ereção e nem gozar por causa do cinto de castidade masculina que ele usa, sempre me excita muito. Tirei a roupa, mandei ele deitar na cama e sentei na cara dele, esfregando minha buceta no rosto e na boca dele e mandando ele me chupar gostoso e dizendo: "chupa, amor. Chupa gostoso a buceta e o cu da sua esposa. Chupa que ela acabou de dar para dois meninos. Chupa que dois paus diferentes acabaram de sair dai". Me marido me chupava deliciosamente, gemendo e se contorcendo sem poder ter prazer. Eu logo gozei gostoso na boca dele. E desta vez não estava com a mínima vontade de soltar ele do cinto de castidade. Virei para o lado, abracei ele e dormi. a esposa transa com dois novinhos. o marido fica preso no cinto de castidade masculina

Mulheres que quiserem conversar comigo sobre as formas de um casamento perfeito ou saberem mais sobre as possibilidades é só me escreverem no paulasicam@gmail. com

Homens e casais que partilhem das fantasias e quiser conversar também, é a mesma coisa: paulasicam@gmail.com







sexta-feira, 27 de outubro de 2017

A esposa transa com uma amiga enquanto o marido que vive em castidade masculina assiste

Passados uns dias de meu fim de semana com o Julio eu conversei com a Ana, uma amiga minha gostosa e safada e resolvemos nos ver.

A Ana tem um corpinho delicioso. Baixinha, com seios naturais, grandes e bem firmes. Barriga lisinha, bunda empinada com pernas torneadas. Morena de olhos verdes e cabelos lisos e sedosos. E tem uma bucetinha deliciosa para chupar e lamber. Carnuda, gordinha, com uma faixinha delicada de pelinhos. E ela é o tipo de menina que fica ensopada quando está excitada.

Já tem alguns episódios aqui no blog dela com a gente. Este é um deles: https://submissocornoecontrolado.blogspot.com.br/2016/11/hoje-ele-vai-ter-orgasmo.html

Ela chegou em casa, toda lindinha, me beijou na boca deliciosamente. Logo em seguida o Rob chegou do trabalho e ela também cumprimentou ele com um beijaço na boca, provocando ele bastante. Ela sabia que ele vive em castidade masculina e usa cinto de castidade 24 horas por dia e 7 dias por semana, sem poder gozar.

Eu gosto muito de ter o poder sobre o prazer do meu marido. Ele goza se eu quero e quando eu quero. E confesso que eu quero muito pouco. É muito melhor a vida dessa forma. Meu marido casto é muito mais amoroso, cuidadoso e ligado a mim e ao amor do que qualquer outro marido. Eu recomendo fortemente a castidade masculina no casamento.

O Rob foi tomar banho e eu fiquei conversando e namorando com a Ana. Ele saiu do banho e se juntou a nós. Ficamos curtindo, bebericando, comendo uns aperitivos gostosos, até que eu e a Ana nos agarramos para valer. Nossas bocas coladas, nossas línguas entrelaçadas. Arrancamos a roupa. Nos chupamos, nos masturbamos, nos tocamos. Tudo ali no sofá da sala ainda. O Rob, meu marido, ali do lado assistindo tudo, bem preso no cinto de castidade. Mas era só um aquecimento. Nem eu nem ela queríamos gozar ainda.

Fomos para o quarto, mandei o Job tirar a roupa. Provocamos ele bastante. Excitamos ele, deixamos ele louco, mas sem ereção porque estava preso no cinto de castidade. E o tempo todo eu perguntava se ele queria que eu soltasse ele e ele pedia por favor, do jeito que eu gosto. Depois de muito tempo, soltei ele do cinto, mas imediatamente algemei as mãos dele para ele não poder se tocar. O pau dele solto logo ficou duro e ele mais louco de tesão ainda. Ele se deitou na cama e a Ana sentou na cara dele, para ele chupar a buceta e o cu dela. Ela se esfregava na cara e na boca do meu marido. Enquanto isso eu masturbava ele de leve e dava pequenas chupadas no pau duríssimo dele.

Peguei o jogo de sondas uretrais, as varinhas de metal com as bolinhas na ponta e escolhi uma com a bolinha média para grande. Meu marido estaca tão distraído chupando a Ana que nem percebeu. Encostei a sonda bem no buraquinho da uretra e logo enfiei todinha. Ele gemeu de dor. A sonda arde demais quando eu enfio e fico mexendo. Percebi que aquilo excitou ainda mais a Ana, que estava quase gozando na boca dele. Eu brinquei bastante com a sonda, enfiando e tirando, machucando a uretra dele, fazendo ele sentir dor.

A Ana disse que estava perto de gozar e eu falei pra ela. Vem, senta no pau dele, goza com ele te penetrando. Tirei a sonda de metal com a bolinha na ponta, disse para ele que ele estava proibido de gozar, e ela logo sentou no pau dele, de uma vez só. Rebolou e se esfregou nele e logo gozou. Quando ela saiu imediatamente eu sentei no pau do meu marido e disse: "olha que sortudo você! Acabou de sentir a buceta de uma gata e agora esta sentindo a da sua esposa. Duas bocetas quentes e molhadas para você, uma diferente da outra. Rebolei algumas vezes no pau dele, provocando ele e dizendo que muitos homens comem a mulher dele e gozam com ela bem gostoso. E ai parei de rebolar, levantei do pau dele e disse: "os outros podem gozar comigo, amor. Mas você não pode e não vai gozar. Não quero que você goze mais este ano. Seu próximo gozo só no ano que vem". E parei tudo. Mandei ele sentar na cadeira, amarrei ele algemado e voltei a transar com a Ana. Ele ficou enlouquecido, cheio de vontade de gozar. Ele vive trancado no cinto de castidade masculina e quando eu solto e ele tem ereção ele fica maluco, mas óbvio que eu não ia deixar ele gozar. Adoro provocar e negar o gozo a ele. Tease and denial é uma delicia e faz muito bem, porque ele fica sempre estimulado, erotizado e excitado. É importante vocês mulheres entenderem que a castidade de nossos maridos ou namorados não significa menos sexo. Muito pelo contrario, significa muito mais sexo, prazer e tesão. A única diferença é que você mulher goza quando quiser (sozinha, com o marido chupando ou masturbando ou com outros se vocês gostarem). E o marido não goza quase nunca, o que faz com que ele fique muito mais conectado, presente e amoroso.

Ela veio me chupando gostoso, depois nos esfregamos e eu gozei deliciosamente assim. Meu marido estava louco de tesão, mas bem algemado e amarrado não podia fazer nada. Não podia ter prazer e nem nada. A esposa transa com uma amiga enquanto o marido que vive em castidade masculina assiste

Ficamos as duas deitadas, relaxando. Mas eu estava com vontade de fazer xixi. Mandei o ir para o box do banheiro e deitar no chão. Quando ele fez isso, ele ja sabia que eu ia fazer xixi nele. De vezes quando gosto de uma boa chuva dourada. Adoro fazer xixi na boca e no rosto dele. Fiquei de cócoras na cara dele e fiz uma deliciosa chuva dourada. Mandei ele ficar de boca aberta e sentir o gosto do meu néctar dourado. Quando terminei a Ana disse que queria fazer xixi também e eu falei para ela aproveitar e fazer xixi na boca do meu marido também. E ela fez. Enquanto isso eu dizia: "bebe o xixi dela amor, sente o gosto. Aposto que o gosto dela é diferente do meu, sente qual você gosta mais".

Aquilo deixou todos nós loucos de tesão de novo. Meu marido ainda de pau duríssimo, mas isso era problema dele, porque ele não ia gozar mesmo. E eu e a Ana nos pegamos de novo, transamos muito de todas as formas deliciosas que duas mulheres podem e gozamos as duas de novo.

Mandei o Rob tomar banho e quando ele saiu instalei o uso do cinto de castidade masculina de uso diário dele de novo.

Quem quiser conversar comigo: paulasicam@gmail.com





segunda-feira, 9 de outubro de 2017

a esposa arruina o gozo do marido depois de ter gozado com o namorado e uma amiga

Vocês viram no capitulo anterior que eu estava passando um final de semana com o Julio em um hotel de luxo em São Paulo, enquanto meu marido corno, manso e que vive em castidade masculina, usando cinto de castidade, me esperava em casa. Quem ainda não conhece minha história começa la pela primeira pagina e vem lendo de trás para frente que ajuda a entender tudo

No capitulo anterior contei que dei para o Julio, mas que também comi ele. Fui uma mulher passiva, mas também fui uma mulher ativa, fazendo inversão de papéis. Depois que os dois gozamos eu continuava animada e convidei ele para irmos para uma balada. Ele topou. Mandei algumas mensagens para meu marido provocando ele bastante, excitando ele e deixando ele louco por saber que a esposa dele estava gozando com outro homem e fazendo outro homem gozar enquanto ele ficava preso no cinto de castidade sem poder nem ter uma ereção. Meu casamento é perfeito, porque a castidade masculina faz com que nossos maridos fiquem mais carinhosos e amorosos com as esposa.

Me arrumei e vesti um vestidinho bandagem vermelho, super justo e bem curtinho e por baixo só uma micro calcinha fio dental. Nos pés um saltão bem alto.

Falei para o Julio que queria ir no Rooftop Tetto e para lá nós fomos. Chegamos lá e já estava cheio de mulheres bonitas. Pedi um Fim Tonica e o Julio um Whisk e ficamos bebendo, namorando e observando. A pista já estava bombando, porque tínhamos chegado mais tarde já. Comecei a dançar sensualmente, provocando muito o Julio e também a todos que estavam lá. Tinha bastante gente bonita, meninos e meninas, jovens, sarados e gostosos. Mas eu senti que o clima não estava muito para paqueras mais pesadas, infelizmente, porque eu estava querendo pegar algum menino ou menina, na frente do Julio. Ficamos um tempo e eu disse para o Julio que queria ir para a D-Edge. No carro, coloquei meus pés em cima do painel, levantei meu vestido que já era bem curtinho e tirei minha calcinha, enfiando na boca do Julio e dizendo para ele: "vou dançar sem calcinha".

Chegando na D-Edge já sentir aquele clima no ar e decidi que ia para o crime. Comecei logo a dançar como uma louca, provocando todo mundo. Num cantinho da pista tinha 3 amigas lindas e eu cheguei perto delas e comecei a dançar com elas, até que escolhi uma e cheguei pertinho, quase beijando. recuei, sorri. Cheguei de novo e beijei. Um beijo gostoso, intenso mas delicado.  Debora era o nome dela.

Ficamos ali dançando um tempão. Às vezes trocávamos uns beijos, até que eu sugeri para ela para irmos para o hotel. Expliquei que eu era casada, mas que estava com um namoradinho meu. Ela estava bem louca e não entendeu nada, mas disse que ia com a gente.

No carro, o Julio foi dirigindo e eu e ela fomos atrás, nos beijando e nos atiçando. Chegamos no quarto e resolvi que ia dificultar as coisas para o Julio. Logo algemei ele com as mãos para trás e coloquei a venda nos olhos dele. A Debora deu risada, sem entender nada. E eu logo beijei aquela boca gostosa.  No meio do beijão ela já enfiou a mão por baixo do meu vestido e encontrou minha xoxota ensopada e aberta, sem calcinha. Ela riu e disse: "vc estava o tempo todo sem calcinha, que delicia!!" e logo enfiou um dedo profundamente dentro de mim. Eu gemi e rebolei no dedo dela e nosso beijo ficou ainda mais intenso. Paramos o beijo um tempo depois e tiramos nossas roupas. O corpo dela era lindo. Bem branquinha, ao contrario de mim que estava super bronzeada. Peitos lindos,  enormes. Silicone, mas super bonitos. Barriga chapada, bunda empinada. Buceta enorme, com grelo e lábios proeminentes e totalmente depilada, assim como eu.

Deitamos na cama, agarradas, nos esfregando e nos tocando. O Julio ali perto algemado e vendado, só ouvindo a gente gemer e se pegar. E a gente estava se pagando mesmo. Beijos, toques, abraços, masturbações. E muito beijo, muita língua. Cai de boca naquela buceta enorme, de lábios bem abertos e grelo proeminente. Ela gozou logo, forte. Ai foi a vez dela retribuir, vindo me chupar até eu gozar na boca dela. Deitamos abraçadas e o Julio louco de tesão, sentindo o cheiro de sexo no ar, ouvindo a gente, mas sem poder ver nada.

Um tempo depois tirei a venda do Julio e disse para ele: "olha que lindas nós duas aqui nuas, olha nossos corpos gostosos. Mas você só vai olhar e sentir o cheiro. Não vai nem poder encostar na gente".

Rapidamente nos esquentamos de novo e começamos a transar de novo eu e a Debora. E desta vez deixei o Julio assistir tudo, algemado. Nos beijamos, nos chupamos, nos roçamos, nos esfregamos. Gozamos gostoso mais uma vez. Quando terminamos de gozar eu peguei o pau do Julio por cima da calça e vi que estava super duro, lógico. Abri a calça e abaixei a cueca e pulou o pau dele, duro. Dei umas lambidas na cabecinha, bem de leve, só nos pontos mais sensíveis. Depois tirei a calça dele e me deitei por baixo dele e lambi o saco, o períneo e o cu dele. A Debora chegou e começou a chupar o pau dele. Ele gemia e se mexia, fodendo a boca dela. Eu lubrifiquei bem o cu dele e enfiei dois dedos de uma vez só. Ele gemeu forte e ai eu massageei a próstata dele, mas logo parei. Sai de baixo dele e dividi o pau dele com a Debora, mas ai eu beijei a boca dela dizendo: "ele já gozou hoje, não precisa gozar de novo, vamos deixar o pau dele amolecer".  Ela morreu de dar risada e paramos, deixando ele lá duro a algemado.

O sol já estava aparecendo pela janela, a Debora tomou um banho e pegou um Uber e eu e o Julio deitamos para dormir um pouco. Acordamos com ele de pau duro, se roçando em mim, mas eu disse que não queria. Mandei ele se masturbar e gozar na minha calcinha. Fiquei me exibindo nua e gostosa para ele. Ele bateu uma punheta e esporrou na minha calcinha na mão dele. Guardei a calcinha em um saco plástico bem fechado. Tomamos um banho, almoçamos no Skye e ele me levou de volta para casa.

Cheguei em casa e agarrei meu marido, beijei muito ele e me esfreguei nele, dizendo que estava morrendo de saudades dele. Ficamos conversando um pouco e eu sabia que ele estava louco para saber do meu fim de semana, mas não disse nada para ele por enquanto. O dia estava lindo e pedi para ele abrir uma champagne para tomarmos na varanda. E ai depois de algumas taças eu comecei a contar para ele tudo que eu tinha feito no fim de semana.  Ele logo começou a ficar louco, com o pau dele preso no cinto de castidade.  Perguntei se ele queria ir para o quarto e os olhos dele brilharam e ele disse que sim. Tiramos nossas roupas e eu conferi o cinto de castidade dele, bem preso como sempre. Beijei a boca dele e disse: "eu te trouxe um presente, amor". E peguei o saco plástico com minha calcinha usada por mim e esporrada pelo Julio. Abri ela e disse: "sabe o que é isso, amor? É uma calcinha que usei e depois o Julio se masturbou com ela e gozou nela. Vem cheirar e lamber". E aproximei do rosto dele, do nariz dele e depois mandei ele lamber, onde estava a porra ainda úmida porque estava fechada no saco plástico. Depois que ele lambeu eu enfiei a calcinha suja na boca dele, enquanto apertava o saco dele com bastante força.  Ele ficou maluco de tesão. Tirei a calcinha da boca dele e mandei ele chupar, dizendo: "agora vem chupar a buceta da sua esposa que outro comeu. E ai dei risada e completei: e gozou dentro, amor". E ele caiu de boca na minha buceta, enquanto eu ficava dizendo que ele era um corno manso que eu amava e contando detalhes de como tinha sido minha trepada com o Julio. Logo gozei gostoso. Meu marido é super treinado para me chupar e eu adoro isso.

Depois que gozei a primeira vez, perguntei para o Job se ele queria que eu soltasse ele e ele disse que queria muito. Mandei ele implorar e ele pediu por favor para eu tirar o cinto de castidade dele. Eu sorri e disse: "vou de soltar, mas quero um presente amanhã. Quero um bracelete que vi na Tiffanys". E ele disse que sim.

Peguei a chave e soltei ele. Quando solto o pau dele do cinto eu logo acaricio, para o pau crescer. E imediatamente senti a ereção na minha mão. Lambi o pau dele do começo ao fim e depois engoli, mamando bem gostoso.  Depois de um tempo de boquete, quando comecei a sentir um liquido pre gozo na minha boca eu parei, beijei a boca dele dizendo: "desta vez está com gosto do seu pau mesmo, amor". Em seguida peguei as algemas e prendi ele com os braços para trás. Lubrifiquei o pau dele e minha mão e comecei a masturbar meu marido. Enquanto batia punheta para ele eu ia falando sacanagens e provocando muito ele. Alternava movimentos mais rápidos e mais leves. Toques mais firmes e mais delicados. E o tempo todo conectada a ele, olhando para ele. Ele gemia, arfava, se mexia. E eu masturbava ele gostoso, até que percebi que o gozo dele estava chegando. Fiquei muito atenta e quando estava na hora H para ele eu tirei minha mão, arruinando o orgasmo dele. É lógico que eu só ia dar um orgasmo frustrado e arruinado para meu marido. Dei a ele um orgasmo sem prazer. Ele gritava e tentava se esfregar, mas estava preso com as algemas. Quando terminou a ejaculação dele ele estava vermelho e louco de tesão ainda. Eu dei um beijo nele e disse: "calma, amor. Tá tudo bem. Foi só um orgasmo arruinado. Vai tomar um banho e relaxa". Quando ele voltou do banho, eu prendi ele de novo no cinto de castidade e ficamos na cama namorando. A esposa arruina o gozo do marido depois de ter gozado com o namorado e uma amiga




domingo, 1 de outubro de 2017

Uma mulher ativa e passiva, com um homem ativo e passivo. Inversão de papéis e tudo mais. O marido em castidade, quietinho

Quando chegou a sexta-feira eu acordei preguiçosa, tranquila. O Rob, meu marido corno manso cuckold que vive em castidade masculina, saiu para trabalhar. Eu lembrei ele para chegar cedo, para que eu pudesse me despedir dele, já que ia passar a noite com o Julio, um cara que eu conheci em uma das festas fechadas e luxuosas de nosso super grupo de sexo. Quem ainda não sabe do que estou falando, vale a recomendação que sempre faço, que é ler de trás para frente. Comece pelos capítulos anteriores até chegar ao mais recente.

Arumei uma malinha, com algumas roupas bem sexies e aproveitei e coloquei nela também um dos meus cintaralhos, ou seja um dos meus paus artificiais com cinta, para eu comer meus homens. Escolhi um pau realístico bem grande, mas não enorme. Eu ia ser ativa e passiva com aquele homem delicioso. Ia dar para ele, mas ia comer ele também. Adoro fazer inversão de papéis. Coloquei também uma venda para os olhos, um chicotinho leve, oléo de massagem e minhas algemas.

Marquei uma massagem relaxante no Spa Loccitane para a tarde.  Em seguida fui fazer bronzeamento, para ficar com minhas marquinhas bem fortes. Cheguei em casa no fim da tarde, tomei um banho gostoso e me produzo toda. Coloquei uma calcinha nova, super fio dental e bem sexy. E, claro, ia estrear o vestido bandagem e o sapato novos que meu marido tinha me comprado exatamente para essa noite. Fiz uma maquiagem bem bonita e fiquei tranquila esperando. Logo em seguida meu marido chegou em casa e disse: "nossa, amor, como você está linda". E eu respondi: "que bom que você gostou meu amor, espero que o Julio goste também" e dei um beijo bem gostoso na boca do meu marido, dizendo que eu ia me divertir bastante e gozar bastante e que era para ele me esperar em casa direitinho, preso no cinto de castidade. Levantei meu vestido e mostrei a micro calcinha que eu estava usando e perguntei para ele se o Julio ia ficar com tesão quando eu tirasse a roupa.

Um tempo depois o Julio me manda um WhatsApp dizendo que já estava chegando e que eu podia descer. Pedi para meu marido pegar minha mala e me acompanhar até lá embaixo, para cumprimentar o Julio e se despedir de mim. Quando descemos, percebi que o Julio ficou meio sem graça e constrangido, mas eu disse que tudo bem, que o Rob estava acostumado e gostava que eu me divertisse. Beijei meu marido e disse que eu contaria tudo para ele. Entrei no carro do Julio e ele me disse que iriamos ficar hospedados no Hotel Unique e que jantaríamos ali no Skye. Chegamos no hotel, fizemos checkin e fomos para o quarto lindo que ele havia reservado. Logo que entramos no quarto eu abracei o Julio e dei um beijão na boca dele e disse: "se prepara porque vamos gozar muito hoje aqui neste hotel delicioso". Mas eu não ia queimar a largada e disse para subirmos para jantarmos no Skye. Chegamos no bar e eu sentia todos os olhares para mim, com meu vestido justo e marcando meu corpo. Dei a mão para meu companheiro daquela noite e entrei poderosa no bar. Sentamos para esperarmos a mesa do jantar e pedimos uns drinks para começarmos a noite. Depois de dois Aperol Spritz, fomos para a mesa e jantamos, sempre no maio clima de namoro. Mas estava claro que eu era uma mulher casada, com aliança no dedo (eu nunca tiro minha aliança!) com um homem solteiro. Pedimos uma sobremesa e logo estávamos nos beijando e nos acariciando ali mesmo no Skye.

Descemos para o quarto. No elevador já agarrei o Julio e disse na orelha dele: "se prepara que vai ser a melhor noite da sua vida" e esfreguei meu corpo no dele. Entramos no quarto e eu mandei ele sentar na poltrona do quarto. Coloquei uma musica gostosa e fiz um striptease, tirando meu vestido e ficando apenas de salto altíssimo e a calcinha fio dental. Ele queria me agarrar, mas eu empurrei ele para sentar de novo. Coloquei as pernas no braço da poltrona, bem abertas, e afastei o elástico da minha calcinha, mostrando minha buceta aberta e já ensopada bem perto do rosto dele, quase esfregando.

Fomos para a cama, nos beijando e agarrando. Ele tirou a roupa, ficou nu com aquele pau gostoso bem duro. Ele se deitou eu fiquei de pé em cima dele e arranquei minha calcinha e logo sentei na cara dele, esfregando minha buceta para ele me chupar. Sentia a língua daquele homem em cada pedaço da minha buceta e enlouquecia. Em seguida me virei num 69 delicioso e engoli aquele pau duro que logo ia me comer. Ficamos um tempo nos chupando mas meu tesão era enorme e logo sentei no pau do Julio, sem camisinha, do jeito que eu gosto. Senti a cabeça me abrindo e logo fui preenchida pelo volume todo. Me mexi, rebolei, mudamos várias vezes de posição. Ele me fodia gostoso. A gente se olhava, se tocava e se beijava. E logo eu gozei, forte, intenso, gostoso. Mas eu aguentava mais e queria mais. Eu sabia que ele ia querer meu cu se eu ficasse de 4, mas eu não ia dar o cu para ele antes de comer o dele. Me encaixei sentada por cima, me esfregando forte até gozar de novo e ai ele veio também e me encheu de porra. Caimos para o lado relaxados.

Um tempo depois, beijos, toques, chupadas e ele estava duro de novo e eu ensopada e pronta para outra. Mas desse vez ia ser diferente. Peguei a venda e vendei os olhos dele, para que ele não visse nada. Coloquei uma musica bem instigante e peguei o óleo de massagem. Comecei com ele de frente, massageei as pernas, o saco, a virilha, masturbei o pau dele bem gostoso. Mandei ele virar de bruços e comecei a massagear as costas, desci pelas pernas e subi para a bunda dele. Abri bem a bunda e acariciei o cu dele de leve, massageei mais a bunda e voltei para o cu. E enfiei um dedo bem lá dentro. Ele gemeu gostoso e eu disse: "você gosta disso né, safado". Ele gemeu de novo e disse que sim. E ai eu enfiei um segundo dedo e massageei a próstata dele, enquanto acariciava o saco dele e masturbava o pau duríssimo dele.

Mandei ele ficar imóvel e me levantei. Peguei o pau com o cinto e vesti. Lubrifiquei bem e deitei em cima dele, roçando o bico dos meus peitos nas costas dele e ao mesmo tempo encostando a cabeça do pau no cinto no cu dele. Percebi que ele se assustou e eu disse: "relaxa gato, vou te comer gostoso. Agora é sua vez de ser um homem passivo. Eu serei a mulher ativa. Abre seu cu para eu enfiar meu pau bem gostoso". Ele murmurou algo do tipo: "mas eu nunca levei um pau, eu gosto só de dedadas". E ai eu disse: "pra tudo tem uma primeira vez, gato. Hoje você vai dar esse cu bem gostoso pra mim" e em seguida forcei a cabeça do pau no cinto para dentro do cu dele. Ele gemeu e disse que estava doendo muito. Eu falei: "gato, relaxa que já passa e você vai adorar quando entrar inteiro" mas dei uma paradinha para ele se acostumar, mas logo forcei e meti mais um pouco.

Ele pediu por favor para tirar e eu tirei. Acariciei o cu dele e disse: "abre, gato, abre seu cu pra eu te enrabar gostoso, deixa o pau entrar, seja um homem passivo bem gostoso para sua mulher ativa" e logo encostei a cabeça do pau com o cinto de novo e meti. Ele já estava bem mais relaxado e entrou quase todo. Esperei um pouco e enfiei até o fim e disse para ele: "pronto, já está até o talo na sua bunda, sua putinha passiva. O pau está todinho dentro de você, agora aproveita. Dá bem gostoso hei cu pra mim, deixa eu te foder com força que eu vou te arrombar todinha". Logo comecei a bombar o pau na bunda dele, com ritmo e força.

Peguei ele por baixo e mandei ele ficar de 4. Quando ele ficou de 4 eu meti o pau todinho com força no rabo dele. Peguei ele pela cintura e comecei a comer a bunda dele com movimentos fortes e ritmados. Ele gemia e eu falava: "isso, rebola como uma putinha no meu pau, sente ele entrando com forte. Você é uma putinha passiva safada, abre bem esse cu pra eu comer". Ele gemia e dizia que estava adorando. E eu metida cada vez mais rápido e mais forte na bunda dele. Uma hora eu fui com uma das mãos por baixo e peguei no pau dele, que estava muito duro. Comecei a punhetar o pau dele, enquanto metia com força no cu dele. Percebi que ele estava quase gozando e parei tudo e disse: "tá querendo gozar bem passivo dando o cu pra mim, né sua puta devassa? Mas quero que você me coma também, não vou te deixar gozar dando o rabo não".

Percebi na hora, pelo jeito dele, que seria fácil eu dominar ele, que ele tinha tendências submissas e passivas também e já fiquei cheia de idéias bem safadas.

Fiquei de 4 e empinei bem minha bunda, toda aberta e oferecida para ele. Tinha certeza que ele ia direto no meu cu, mas eu não ia liberar para ele minha bunda não. Logo ele veio e encostou a cabeça do pau no meu cu, como eu imaginava. Olhei para ele e disse: "não, gato, hoje não vou dar a bunda para você. Se você se comportar bem amanhã eu dou bem gostoso meu cu pra vc" e peguei o pau dele e dirigi para minha buceta. Ele disse que queria muito meu cu e eu disse que ele ia ficar querendo até o dia seguinte e assim ele meteu em mim e me pegou gostoso de 4. Enquanto ele me fodia de quatro eu me masturbava e pegava no saco dele". Logo gozei forte e gostoso. Como ele não gozou na hora eu tive uma idéia bem safada. Olhei bem nos olhos dele e disse: "Vou te chupar agora. Goza na minha boca. Enche minha boca de porra quente". Tirei ele de dentro de mim e fui fazer um boquete delicioso nele. Engolia o pau, acariciava o saco. Desci com a outra mão até o cu e enfiei um dedo, depois dois e depois três e acelerei a chupada, masturbando o pau dele com a mão que estava no saco. Logo ele começou a gemer e se mexer e eu percebi que ele estava quase gozando. E logo senti o primeiro jato seguido dos outros. Ele encheu minha boca de porra, mas eu não engoli e nem cuspi. Fiz muito melhor. Logo que ele terminou a gozada, subi para beijar a boca dele, para devolver a porra dele todinha. Quem ia engolir era ele. Logo que ele terminou a gozada, subi para beijar a boca dele. Quando cheguei pelo da boca dele com a minha toda esporrada ele fez uma cara de espanto e tentou se colocar para trás, mas eu puxei a cabeça dele e encostei minha boca na dele. Ele fez frescura, tentando fechar a boca, mas ai eu falei, com a boca cheia mesmo. Se quiser me comer de novo me beija e aproveita. Vai ter nojinho da sua própria porra?". E voltei para um beijão nele. Desta vez ele abriu a boca, eu enfiei a língua bem lá dentro e transferi a porra toda misturada com minha saliva para a boca dele. parei de beijar e disse: "mostra que você é um homem obediente e engole tudinho". E ele engoliu, mesmo fazendo uma careta. Eu nunca erro. Sabia que ele era perfeito para isso.

Deitamos um do lado do outro e elogiei ele por ter me beijado com a boca esporrada e disse para ele que cada porra tem um gosto e que ele precisava se acostumar a sentir a de outros também. Ele deu risada, mas eu sabia que ele estava na minha mão. Falei para ele do meu marido, contei como ele era submisso e como era nossa vida. Aproveitei para olhar meu celular e tinha varias mensagens do Job querendo saber de mim, mas eu ia judiar um pouco dele e não ia mandar nenhuma foto nem video e nem resposta até o dia seguinte. Eu e o Julio nos arrumamos e dormimos naquela cama gostosa daquele hotel de luxo.

Acordamos bem tarde no dia seguinte, tomei um banho e já tinha passado o horário do café da manhã. Estava o maior sol e sugeri ao Julio para irmos aproveitar a piscina linda do hotel, vermelha, na cobertura, maravilhosa. Vesti um dos meus biquinis super fio dental, valorizando minha bunda e meu corpo, com a parte de cima cortininha destacando meus seios gostosos. Subi com um shortinho e uma blusinha por cima e logo me acomodei em uma das poltronas para tomar sol. Pedimos uns petiscos como se fosse o café da manhã. E foi ai que resolvi responder as mensagens do meu marido. Mas em vez de responder primeiro com texto, fiz uma "belfie" minha, ou seja, uma foto minha deitada de bruços aparecendo minha bunda empinada e gostosa. Fiz a foto e mandei para ele, que logo respondeu. Contei da minha noite, com detalhes e disse que a noite teria mais com o Julio. Senti que meu marido ficou excitado, estimulado, mas enciumado também. Gosto assim! Meu marido tem que estar sempre estimulado e ligado à mim.

Fiquei namorando o Julio na piscina e chamando atenção de todos na piscina daquele hotel de luxo, do jeito que eu gosto. Comemos por ali, pedimos champagne e ficamos ali até o por do sol, delicioso. Eu estava bem bebadinha e super soltinha. Voltamos para o quarto e eu logo que entrei já arranquei meu shorts e meu biquininho e fiquei nua, me exibindo toda para o Julio. Dei um beijo nele e fui tomar um banho. Sai do banho e ele entrou para tomar o dele. Passei creme no corpo no banheiro, com ele olhando e eu provocando. Quando ele saiu e se secou eu dei um beijo nele e disse: "você quer comer minha bunda não quer?". Ele louco disse que sim. Ai eu respondi: "hoje eu dou bem gostoso meu cu para você, mas antes quero brincar com você. Te treinar um pouquinho, topa?". Ele disse que sim. Ai eu sorri bem maliciosa e disse que íamos nos divertir muito.

E logo me aproximei dele, abracei ele, esfregando meu corpo nu e meus seios bicudos nele. Dei um beijo na boca, apertei a bunda dele com força. Me afastei um pouco, olhei bem nos olhos dele e dei dois tapas na cara dele, dizendo: "ajoelha. Quem manda sou eu. Seja obediente". E ele ajoelhou. Eu tinha certeza que ele ia fazer isso.

Fui até o armário, vesti minha sandália de saltos altos e mandei ele beijar meus pés lamber entre os dedos. Depois mandei lamber a sola e mamar o salto. Ele fazia tudo, obediente como um bom submisso. E eu brincava com o chicote dando pequenas chicotadas bem de leve, nas costas dele, até que me deu vontade e dei duas chicotadas bem fortes, sem avisar. Ele gritou e eu vi os vergões nas costas dele e me excitei ainda mais com isso. Mandei parar de beijar meus pés, rodeei ele e disse: "quer comer a minha bunda né? Quantas chicotadas eu posso te dar em troca do meu cu?". Ele disse 8 e eu disse que era pouco. Ele falou 10 e eu disse: "o dobro disso. Vou te dar 20 chicotadas bem dadas e depois fico de 4 para você me comer a bunda que tanto quer". Mandei ele contar e agradecer cada chicotada. E comecei a bater forte. O chicote marcava a carne da bunda dele. Eu via as marcas que tanto me excitavam. Na 19 parei e disse: "falta uma ultima. Você está adorando isso, não está?". Ele disse que sim e eu dei a 20 chibatada, com força, marcando a bunda dele. O pau dele explodia de tanto tesão e minha buceta escorria e latejada, ensopada de vontade. Chupei gostoso o pau dele e depois mandei ele chupar minha buceta e meu cu. Ele me lambia e me chupava gostoso. Quando eu estava quase gozando, mandei ele deitar e sentei no pau dele. Mas sentei com o pau dele no meu cu. Senti entrando, relaxei e me abri e comecei a rebolar e me mexer naquele pau duro e gostoso dentro do meu cu. O Julio gemia de tesão e eu estava adorando também. Comecei a me masturbar deliciosamente enquanto rebolava com o pau dele no meu cu. Fiquei dando para ele um tempo nessa posição e depois fiquei de 4 e disse: "vem gostoso no meu rabo". E ele meteu, me pegando pela cintura e pelos cabelos. Eu me masturbava sem parar porque queria gozar. E um tempo depois olhei pra ele e disse: "vou gozar, gato. Enche meu cu de porra". Ele apressou os movimentos e esporrou dentro do meu rabo e eu gozei em seguida.

Logo que gozei, ele se deitou e eu sentei na cara dele. Ele se assustou um pouco, mas eu disse: "lambe meu cu. Lambe meu rabo esporrado por você. Sente o gosto do seu prazer. E ainda bem que é seu, podia ser de outro" e forcei para sair a porra na boca e na cara dele.

Quando terminamos disse que estava cheia de idéias para fazer com ele, que ele ia se divertir. Mandei algumas mensagens para meu marido, dizendo que estava com meu cu cheio de porra de outro e que nós dois tínhamos gozado muito. Provoquei bastante meu marido, contando com detalhes tudo que eu fiz e dizendo que ele era um sortudo de ser casado com uma mulher gostosa como eu.

Depois perguntei  para o Julio se ele tinha pique porque queria ir em uma balada e ele disse que sim. Fui tomar banho e me arrumar, mas isso é para o próximo capitulo que vou escrever. Por aqui uma mulher ativa e passiva, com um homem ativo e passivo. Inversão de papéis e tudo mais. O marido em castidade, quietinho

Você homem ou mulher que quiser falar comigo pode me escrever no paulasicam@gmail.com







sábado, 23 de setembro de 2017

a esposa, o marido corno em castidade controlada e o namorado na cama.

Depois de ter ordenhado a próstata do meu marido ontem, para alivia-lo sem prazer, eu acordei hoje de novo com tesão e cheia de vontade. Resolvi que ia transar com meu outro namorado fixo comedor, o Luca. Quem já leu os capítulos anteriores do meu blog já sabe que conheci ele no réveillon em trancoso e nunca mais parei de transar com ele. Quem ainda não leu os capítulos anteriores recomendo que faça para entender melhor como são as coisas e conhecer na ordem cronológica. Vale sempre ler de trás pra frente, do mais antigo para o mais atual.

Falei com o Luca pelo WhatsApp e provoquei ele bastante, dizendo que queria ficar com ele e convidando ele para ir jantar na minha casa. Confirmamos e avisei meu marido que teríamos companhia para jantar e na nossa cama à noite.

Coloquei um vestidinho bem sexy, curtinho, decotado e aberto. Por baixo uma calcinha branca minúscula, sem sutiã. Nos pés uma sandália bem aberta.

O Rob Chegou e eu peguei um Viagra e dei para ele tomar. Adoro dar viagra para meu marido preso no cinto, sem poder transar e nem gozar. Ele sempre reclama pq é muito ruim para ele, mas acaba obedecendo, claro. Ele foi tomar banho e enquanto isso o Luca chegou. Abri a porta e ele ja me agarrou e beijou. Quando o Rob saiu do banho, abrimos uma champagne e depois jantamos os 3. Mas é claro que o objetivo da noite não era o jantar, mas sim a sobremesa. Convidei os dois para irmos para a cama e no corredor ja arranquei meu vestidinho, ficando só de calcinha, rebolando minha bunda de fio dental na frente deles.

Meu marido e meu namorado chegaram e eu beijei primeiro meu namorado, bem gostoso, agarrando e sendo agarrada por ele. Depois tirei e beijei a boca do meu marido, esfregando meu corpo suas nu nele. Mandei os dois tirarem a roupa. Meu namorado ficou nu e exibiu o pau delicioso dele já super duro. Meu marido, ao contrario, tinha o pau dele preso no cinto der castidade, que impedia qualquer ereção. Nos deitamos os 3 na cama e ficamos intercalando beijos, caricias, chupadas. Eu engoli o pau duro do meu namorado, chupando ele bastante, enquanto meu marido me chupava bem gostoso e eu dizia: "isso amor, chupa a buceta da sua esposa, me deixa excitada e molhada para eu dar para meu namorado e gozar com ele". Meu marido estava maluco de tesão, ainda mais com o efeito do viagra.

Brinquei bastante com os dois, provoquei os dois. Ai eu peguei a chave do cinto de castidade e pedi para meu marido implorar para eu soltar ele. Depois que ele pediu e implorou muito eu soltei. Logo que soltei ja peguei no pau dele, que imediatamente ficou super duro. Desci para lamber e fazer um boquete para meu marido, engolindo o pau dele e falando várias sacanagens. Deitei no meio dos dois e cada um me tocava e me chupava ao mesmo tempo. Eu estava maluca de tesão e os dois também.

Meu marido enlouquecido de tanto tesão, solto sem o cinto e sob efeito do viagra. E temos que lembrar que apesar da ordenha da próstata dele na véspera faz muitos e muitos meses que ele não goza. Os últimos orgasmos dele foram arruinados e frustrados por mim.  Deitei por cima dele e comecei a esfregar minha buceta ensopada no pau duro dele. Eu rebolava sentindo a cabeça do pau dele e ameaçava sentar mas não sentava, deixando ele mais louco ainda. Enquanto eu fazia isso eu dizia: "amor, sente como eu estou quente, aberta e molhada". Olhava nos olhos dele e perguntava: "amor, você quer que eu sente no seu pau né? Quer penetrar na buceta gostosa da sua esposa não quer?". E ele louco de tesão dizia que queria muito. Eu sorri para ele e disse: "Você está louco pra me comer né? To percebendo. Então sente bem minha buceta, entra em mim e vê como sou gostosa". E sentei no pau do meu marido. Ele gemeu quando o pau entrou inteiro em mim. Eu rebolei gostoso, levantei e sentei umas duas ou três vezes e ai levantei, tirei o pau dele dentro de mim e disse: "amor, já deu para você lembrar como eu sou gostosa e como minha buceta é quente e molhada, mas agora chega. É hora do meu namorado me comer e você vai assistir bem e pertinho". Ele resmungou e reclamou, eu dei uns tapas bem fortes na cara dele  e peguei as algemas. Mandei ele colocar as mãos para trás e algemei ele.

Virei para o Luca, beijei a boca dele, peguei no pau dele e disse: "meu marido não pode me comer, mas você pode tudo. Vem e me faz gozar que estou louca pelo seu pau". E começamos a transar deliciosamente, alternando posições e ritmos. Meu marido estava louco de tesão, com o pau solto, mas impedido de se masturbar ou se tocar, com as mãos algemadas.

Eu sei que esse meu namorado adora comer meu cu. E apesar dele ter um pau enorme eu amo dar para ele. Fiquei de 4 e disse: "Vem por trás que eu sei que é o que você gosta". Ai soltei meu marido das algemas e mandei ele lamber meu cu, dizendo: "amor lambe bem meu cu, deixa ele bem relaxado, enfia bem a língua la dentro". E meu marido fez. Depois olhei para meu marido, dizendo: "amor, chupa o pau do meu namorado, mas chupa bem babado e gostoso". E fiquei olhando meu marido chupar o pau que ia me comer em seguida, enquanto falava um monte de sacanagens para eles. Em seguida pedi para meu marido pegar o KY e lubrificar bem meu cu e o pau do Luca. Em seguida algemei ele de novo.

Mandei meu marido deitar embaixo de mim e me chupar a buceta bem gostoso. Ai o Luca encostou aquele pau delicioso dele e eu abri e relaxei o cu. Senti a cabeça entrar e relaxei. E ele meteu gostoso, devagar mas com firmeza. Ele sabe comer um cu deliciosamente. Quando eu relaxei ele começou a bombar, enquanto meu marido me chupava e eu mandava ele lamber também o saco depilado do meu namorado. Meu tesão foi nas alturas e o deles dois com certeza também. Logo o Luca apressou os movimentos, me comendo o cu com força, até que eu gozei e ele gozou em seguida. Quando ele tirou o pau do meu cu eu sentei na cara do meu marido e fiz força para a porra sair direto do meu cu para a boca dele.

Meu marido estava pirado de tesão. Eu peguei o pau ele e bati um pouco de punheta, depois chupei um pouco e ai eu parei e disse: "Chega amor. Quando amolecer a gente te prende te novo". Eu adoro negar orgasmos para meu marido. Adoro a negação do orgasmo. Amo os orgasmos frustrados e negados. Sou louca pelos orgasmos arruinados.

Ficamos os 3 namorando e nada do pau do meu marido amolecer, ainda mais com efeito do Viagra. Depois de um tempo o meu namorado me comeu de novo e meu marido ficou só olhando porque ele não me come e nem é autorizado a gozar quase nunca. Tomamos um banho os 3 e só ai que o pau foi amolecer, prendi meu marido no cinto de castidade dele, nos despedimos do Luca e fomos dormir, comigo lembrando meu marido: "tenho que descansar, porque na sexta vou dormir com o Julio, passar o fim de semana com ele e voc6e vai ficar aqui em casa me esperando comportadinho, preso no seu cinto de castidade masculina....".

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

ordenha da prostata do marido submisso em castidade masculina controlada

No dia seguinte acordei ainda excitada e cheia de vontade. Ando num cio fortíssimo. O Rob foi trabalhar, preso no cinto de castidade, claro. A tarde falei com o Julio, que conheci no grupo especial de sexo, pelo WhatsApp e provoquei ele bastante. Chamei ele para ir jantar em casa, mas ele disse que não queria ir para casa, que preferia me levar para jantar e depois passarmos a noite em algum hotel gostoso. Combinamos que íamos sair na sexta então. E eu já fiquei toda tarada para dar de novo para aquele homem delicioso.

A noite quando meu marido Rob chegou em casa eu disse para ele que ia sair com o Julio na sexta, porque ele não queria me comer em casa, com meu marido junto. E disse que queria que o Rob me comprasse um vestido bonito para isso. Combinamos de ir ao shopping iguatemi para comprarmos o vestido e que depois jantaríamos por lá. Eu estava só com uma sainha bem curtinha e larguinha e uma blusinha. Nos pés, uma rasteirinha. Não coloquei nem calcinha nem sutiã, de propósito.

Fomos na Iódice e achei vestidos lindos. Levei para o provador e chamei meu marido para me ajudar a escolher. Deixei uma boa parte da cortina do provador aberta e tirei a roupa. Meu marido estava olhando e viu que eu estava sem nada por baixo. Sorri para ele e disse: "o corpo da sua esposa é lindo e gostoso né?. Que orgulho o seu ter uma esposa assim". Quando eu estava provando o ultimo vestido, percebi que um dos vendedores estava me olhando discretamente por trás do meu marido. Me virei e mostrei também minha bunda gostosa, com a marquinha mínima de biquini. Escolhi o vestido, um bem sexy, de bandagem, justo, que marcava todo meu corpo. Meu marido pagou e eu dei um beijo nele, agradecendo o presente e dizendo que estrearia em uma ocasião bem especial (que é minha primeira noite com o Julio).

Resolvi comprar um salto bem alto e fino para usar com o vestido. Fomos na Schutz e escolhi os modelos para provar. Quando o vendedor se abaixou para me ajudar a provar eu sentei bem na ponta do banco, com as pernas abertas. Queria mostrar para ele que eu estava sem calcinha. Queria deixar o vendedor louco com minha xoxota totalmente depilada. E ele logo viu. Tentava ser discreto, desviar o olhar, mas ao mesmo tempo queria ver.  E ainda ficava constrangido com meu marido do lado. Mas eu provocava mais. Me mexia, abria mais as pernas, me exibia para o pobre vendedor. Escolhi, meu marido pagou e ao me despedir disse para o vendedor: "espero que tenha gostado de me atender" e sorri maliciosamente para ele.

Jantamos um japones no Junji Sakamoto, tomamos uns sakes, namoramos. Chegando em casa, tirei minha roupa e mandei meu marido fazer uma chuca, ou seja lavar seu ânus. Mas não falei nada mais sobre o que pretendia fazer.

Ele voltou eu peguei as algemas, algemei as mãos dele para trás, botei ele ajoelhado em um banco que temos, com a bunda para cima, bem empinada e o cu bem aberto e disse: "amor, andamos tão excitados esses dias e você foi tão bonzinho hoje que vou te ordenhar, vou ordenhar a sua próstata. Vou te aliviar um pouco". É super importante a ordenha da próstata do escravo ou do submisso ou de quem vive em castidade controlada. Já ensinei aqui como fazer uma boa ordenha prostática, em outro post. É importante que o homem esteja de pau mole, sem nenhuma excitação. No caso do meu marido nem tiro o cinto de castidade.

Meu marido murmurou e disse que queria um orgasmo, que tinha ficado louco de tesão nas noites anteriores, que queria gozar, mas eu disse não. Mantive ele na posição, de 4 apoiado no banco e com a bunda empinada e o cu bem exposto e aberto. Coloquei uma tijela embaixo do pau dele, para recolher os fluidos. Meu marido não goza.

Lubrifiquei e acariciei o cu dele, mandei ele relaxar e se abrir e enfiei meu dedo. Localizei a próstata e comecei a massagem prostática, com movimentos regulares e ritmados. Falava para ele: "relaxa meu amor, deixa escorrer sua porra, vamos esvaziar essa próstata, para você ficar bem" e continuei massageando a próstata dele, até que começou a escorrer o liquido dele. Enfiei um segundo dedo e continuei a ordenha. Ele continuava jorrando o esperma, sem nenhum prazer, de pau mole e sem excitação nem orgasmo. Depois de alguns minutos ja tinha esvaziado a próstata e as vesículas seminais dele e não havia mais nenhum fluido para sair.

Tirei o cinto de castidade todo esporrado dele e dei para ele lamber e limpar. Peguei a tijela com toda a porra que sai dele sem prazer e despejei na boca dele, mandando ele engolir, dizendo: "amor, você está tão acostumado a sentir o gosto da porra dos outros, sente agora o gosto da sua". Depois ele tomou banho, eu recoloquei o Holytrainer, o cinto de castidade de uso diário dele. Mandei ele me chupar até eu gozar e dormimos. Ordenha da prostata do marido submisso em castidade masculina controlada

Quer falar comigo? paulasicam@gmail.com

Quer falar com o Rob? robaleixo@gmail.com